quinta-feira, outubro 18, 2007

Mimo ou Compensação por um começo difícil

Acordar às 6:30h com a Inês a palrar, arrastar-me até ao quarto, pegar-lhe ao colo na esperança de a tentar adormecer e perceber que está mijada até ao pescoço.

Mudar-lhe a fralda e trocar o pijama pela roupa do dia, enquanto ela se contorce no trocador cheia de sono e de birra.

Enfiar-lhe o biberão de leite na boca enquanto rezo a todos os santinhos para que hoje seja a excepção e ela queira mamar acordada.

Não come porque está acordada e tem sono, não dorme porque tem fome. Great!

A reza foi um fiasco e dirijo-me a cozinha para lhe preparar a papa que vai salvar este começo atribulado. A birra de sono mantém-se e o carrinho parece que tem pulgas de tanto que ela esperneia e resmunga.

10 minutos depois há mais papa em mim e no chão da sala que no estômago dela. Começo a ter de contar até 10 para manter a calma. Peço ao pai para tentar, enquanto tomo banho e respiro fundo. Saio do banho, a quantidade de papa no chão não aumentou mas no estômago dela também não.

Conto até 20 e consigo dar-lhe um iogurte morno (sim, a excelência não os come de outra maneira). Menos mal.

O pai tem de sair, beijinhos e até já.

A birra de sono mantém-se e visto-me ao som das resmunguices dela.

O saco dela, a minha carteira, a mala do portatil. Está tudo. Já vamos filha, já vamos. Falta o chapéu dela que 3 segundos depois está no chão. Saio de casa, agora é que é filha!, quando ao passar pelo jardim reparo no alguidar de roupa molhada por estender na varanda.

Subo o carrinho dela para a relva e passo para dentro da varanda para estender a dita roupa. Ela acha graça nos primeiro 50 segundos, depois o sono volta a tomar conta e recomeça a choraminguisse.

Antes que os vizinhos venham ver quem é a criança abandonada, começo a cantar "atirei comida ao gato", versão caseira de "atirei o pau ao gato" (mais educativa e salvaguardadora da saude dos bichos lá de casa)e ela sossega.

Canto as vezes necessárias para acabar de estender a roupa enquanto rezo para que nao passe nenhum vizinho e me veja nestas figuras.

Já está filha! Agora é que vamos mesmo. Deito-a na cadeira, arrumo o carro na mala e arranco rapidamente.

Ela adormece quase instantaneamente, eu suspiro fundo e 2 min depois esboço um sorriso.

Depois de a deixar no infantário (sem sobressaltos) e apesar de atrasada, ofereci a mim própria um cafezinho rápido a ver o mar, antes de começar a trabalhar.

Merecido, não acham?

6 comentários:

Sonia&Mi disse...

Mais que merecido!
Até eu fiquei cansada só de ler.

flores disse...

Totalmente! :)

nana disse...

mais que merecido, amiga!


olha, porque sei que te importas e talvez não tenhas tido oportunidade de espreitar o marulhos: http://www.youtube.com/watch?v=YRo8XZkmR88



xXx

nana disse...

ps - ADOREI a descrição da manhã! :o)

Quicas disse...

Merecido?? Nem é preciso perguntar... É que ser mãe é isso mesmo, já sair de casa cansada, ir trabalhar com olheiras, e chegar a casa de sorriso nos lábios depois de receber um de volta do nosso mais que tudo.

Anónimo disse...

酒店經紀人,
菲梵酒店經紀,
酒店經紀,
禮服酒店上班,
酒店小姐兼職,
便服酒店經紀,
酒店打工經紀,
制服酒店工作,
專業酒店經紀,
合法酒店經紀,
酒店暑假打工,
酒店寒假打工,
酒店經紀人,
菲梵酒店經紀,
酒店經紀,
禮服酒店上班,
酒店經紀人,
菲梵酒店經紀,
酒店經紀,
禮服酒店上班,
酒店小姐兼職,
便服酒店工作,
酒店打工經紀,
制服酒店經紀,
專業酒店經紀,
合法酒店經紀,
酒店暑假打工,
酒店寒假打工,
酒店經紀人,
菲梵酒店經紀,
酒店經紀,
禮服酒店上班,
酒店小姐兼職,
便服酒店工作,
酒店打工經紀,
制服酒店經紀,
酒店經紀,

,

Licença Creative Commons
Mundo Azul by Rita Coelho foi licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição - NãoComercial - SemDerivados 2.5 Portugal