segunda-feira, janeiro 07, 2008

Finalmente, melhor

e passou. De repente como veio.
Qual nuvem soprada por vento forte.
Ou com medo da consulta dos 12 meses! Mas o que importa é que a pirralha já está melhor, ainda que não tenhamos chegado a saber o que foi, de onde veio.

E por falar em consulta dos 12 meses e porque a mãe cá de casa é pouco dada a essas números, e ainda hoje cometi uma gafe na dita da consulta, aqui ficam para a posteridade:
Peso- ligeiramente abaixo do percentil 50, justificado pela perda de peso dos ultimos dias
Altura- ligeiramente acima do percentil 95 (sem comentários)

Está enorme e com corpinho de sereia, disse a doutora.
Enorme, lingrinhas e linda, disse a mãe!

Outros factos a registar:
Corre a casa toda agarrada às coisas. Quando o objecto ou pessoa desejada está mais longe, atira-se ao chão e gatinha a alta velocidade.
Diz Mãmã (quando está enrascada, com mimo e durante a noite), diz Papá (sempre! é a primeira palavra que diz quando acorda. Custou mas foi.), Olá, Já está, Gato, Tété e.. acho que é só.
Percebe quase tudo o que lhe dizemos, reconhece n bonecos e objectos pelo nome.
Comer sopa, só com muita conversa e brincadeira e brinquedos atirados para o chão. Comida de gente grande, acha graça a quase tudo e está sempre pronta a experimentar, mas ainda não come em quantidade decente, por isso continuamos a insistir na sopa. Adora bacalhau assado com azeite e alho (pudera!), ovo cozido, frango, arroz. É pouco dada a batatas cozidas e fruta também, só a pedido de muitas familias e em dias impares.
Comer com o pai, é que... nem pensar. Prefere passar fome o dia todo. Já não sei que lhes faça aos 2! (e em Fevereiro vou estar 1 semana nos EUA e eles sozinhos em casa...)
Continua a acordar 1 ou 2 vezes por noite para o leitinho da praxe (estamos a tentar eliminar um deles, mas não está fácil). Dorme completamente destapada, não tolera qualquer manta, cobertor, edredon ou afim em cima dela. E se insistimos, acorda e chora possessa, a que horas for a pontapear a roupa. Enfia-la num saco de dormir, é menos mau, mas continua a render-me vários levantes nocturnos. Já desisti e agora deito-a com pijamas polares para evitar chatices.
A chucha continua a ser companheira apenas nos momentos de mimo e na hora de ir para a caminha, altura em que obrigatoriamente se faz acompanhar da inevitável fralda de pano. (Há coisas em que os miúdos são quase todos iguais, não é?!)
Mãe para tudo! É a vontade dela, cada vez mais. É mesmo menina da mãmã, não há como negá-lo. Às vezes, parece que se lhe fizesse o jeito entrava novamente para a minha barriga!
Foi sempre uma miúda de sorriso muito fácil, mas raramente a ouviamos gargalhar. Agora não! Tem uma gargalhada sonora e contagiante que parece gostar ela própria de ouvir. E fá-lo várias vezes.
E está tão gira, meiga, expressiva, linda, pá!
Licença Creative Commons
Mundo Azul by Rita Coelho foi licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição - NãoComercial - SemDerivados 2.5 Portugal